Doria gasta o dobro que o previsto com subsídio de ônibus

Publicado dia

Prefeitura admite que o gasto com subsídio às empresas de ônibus deve fechar mais um ano com deficit

São Paulo – A gestão João Doria (PSDB) gastou no mês de janeiro o dobro dos recursos previstos no orçamento para a compensação tarifária dos ônibus da cidade.

No mês foram R$ 305 milhões com os subsídios – de R$ 1,8 bilhão previsto com essa função neste ano. O valor gasto corresponde a 17% do total de recursos. Em geral, cada mês consome cerca de 8% do estimado, totalizando 100% em dezembro.

Além disso, a Prefeitura tinha, até quarta-feira, 1, uma dívida de R$ 237 milhões com as empresas de transportes, segundo dados do sistema de execução orçamentária da Prefeitura e de transparência da São Paulo Transporte (SPTrans).

A diferença resulta da manutenção da tarifa de ônibus em R$ 3,80. A isso, soma-se a proibição pela Justiça de reajuste de 14,8% na tarifas integradas entre ônibus, trens e metrô.

O avanço dos gastos com o transporte ocorre em meio à retração de demais atividades municipais. Para pagar salários de professores, Doria já teve de congelar investimentos em obras. As áreas de Saúde e Educação tiveram um contingenciamento de R$ 2,6 bilhões.

João Doria: se mantiver o ritmo de pagamentos, o dinheiro para os ônibus acaba em junho (Facebook/Reprodução)
João Doria: se mantiver o ritmo de pagamentos, o dinheiro para os ônibus acaba em junho (Facebook/Reprodução)

Junho

Mantido o ritmo, o dinheiro para ônibus acaba em junho. A Prefeitura afirma ser possível levar as contas até setembro – depois, seria preciso retirar recursos de outras dotações para manter a frota operando.

Em 2016, janeiro consumiu 9,75% dos recursos do ano. No ano anterior, 8,9%. Só em 2013, quando a gestão Fernando Haddad (PT) deixou de aumentar as tarifas, a pedido da então presidente Dilma Rousseff, os custos chegaram perto do que ocorre em 2017 ( 15% à época).

O subsídio é um recurso que a Prefeitura tem tirado do orçamento para completar o custo do sistema de ônibus. O dinheiro serve para custear passagens gratuitas, como a segunda ou terceira viagem que o usuário do bilhete único pode fazer, por exemplo. Também ajuda a bancar a passagem grátis para idosos e estudantes.

Desafio

Em nota, a Prefeitura disse que o gasto com subsídio em janeiro foi de R$ 205 milhões – ela considera que R$ 100 milhões, referentes a serviços prestados em janeiro, saíram do caixa municipal no dia 1.º.

A gestão reconhece o peso do problema. “É preciso lembrar que, em 2016, o subsídio atingiu R$ 2,9 bilhões, frente a orçamento aprovado de R$ 1,7 bilhão.”

“Para 2017, o orçamento prevê R$ 1,8 bilhão, o que sugere que o déficit de 2016 deve se repetir”, acrescenta a administração municipal.

Segundo a Prefeitura, medidas têm sido adotadas para equilibrar o orçamento, como renegociar contratos, congelar gastos não prioritários e revisar programas. A SPTrans também planeja ações antifraude no bilhete único.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Exame.com

Em Abu Dabi, Doria apresenta a árabes projetos para terminais de ônibus de SP

Publicado dia

Segundo o prefeito, locais terão ar-condicionado, creches municipais, unidades do Poupatempo e pequenos centros comerciais

ABU DABI – Em reuniões de negócios em Abu Dhabi, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), apresentou nesta segunda-feira, 13, 55 projetos de privatizações ou concessões a representantes de fundos de investimentos árabes. Na lista, destaque especial para os complexos de Interlagos e Anhembi, o Estádio do Pacaembu e os 29 terminais de ônibus existentes na cidade.

Segundo o tucano, ao serem privatizados, os terminais passarão a ter ar-condicionado, creches municipais, unidades do Poupatempo e pequenos centros comerciais. O modelo está sendo desenhado em três opções diferentes: privatização, concessão ou Parceria Público-Privada (PPP).

O prefeito João Doria está em Abu Dabi acompanhado do embaixador do Brasil nos Emirados Árabes, Paulo César Meira de Vasconcellos
O prefeito João Doria está em Abu Dabi acompanhado do embaixador do Brasil nos Emirados Árabes, Paulo César Meira de Vasconcellos

O negócio se torna atrativo, segundo Doria, em função do número de passageiros que frequentam os terminais. O tucano ressaltou ainda outra oportunidade neste segmento: a privatização do bilhete único, que pode virar um cartão multiuso.

O plano foi detalhado, por exemplo, ao diretor-geral da Câmara de Comércio de Abu Dabi, Mohamed H. Al Muhairi. Em reunião com Doria, o diretor sinalizou que pretende visitar o Brasil em maio para conhecer de perto as oportunidades. Os dois ainda falaram sobre a paixão pelo futebol – e Doria aproveitou para citar o Santos, seu time do coração.

Nenhum negócio foi fechado com Muhairi, mas Doria ouviu dele um incentivo. “Este é o futuro”, disse o diretor em relação ao pacote de privatizações apresentado pelo tucano.

O mesmo procedimento foi adotado pelo prefeito quando reunido com representantes dos fundos de investimentos Mubudala e Adia. Na manhã desta segunda-feira, Doria recebeu a notícia de que um escritório do Mubudala, que já tem sede no Rio, deve ser aberto em São Paulo.

Acompanhado pelo embaixador do Brasil nos Emirados Árabes Unidos, Paulo César Meira de Vasconcellos, Doria visitará ainda nesta segunda-feira o Autódromo de Abu Dabi, considerando exemplo para Interlagos.

Fonte: Estadão

Doria vai privatizar o Bilhete Único

Publicado dia

Medida faz parte de pacote que inclui 52 itens que podem ser privatizados na cidade; futura empresa da iniciativa privada deverá combater fraudes

(Moacyr Lopes Junior/Folhapress)

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), vai repassar para a iniciativa privada a gestão financeira do Bilhete Único – cartão eletrônico usado para o pagamento de 94% das viagens nos ônibus. A medida faz parte de um programa de privatização que está sendo desenhado com o objetivo de criar fôlego financeiro para a administração municipal. As informações são da edição desta quarta-feira do jornal Folha de S. Paulo.

O governo ainda não tem estimativa de quanto vai arrecadar com a medida, mas a considera uma das mais importantes do plano que faz parte de uma lista inicial com 52 itens que podem ser privatizados. Entre eles estão o autódromo de Interlagos, na Zona Sul, o Anhembi, na Zona Norte e o estádio do Pacaembu, no Centro.

Com a terceirização do Bilhete Único, a prefeitura estima que deixará de gastar cerca de 456 milhões de reais por ano com o gerenciamento financeiro do serviço, que atualmente fica a cargo da SPTrans, empresa de economia mista que administra o transporte por ônibus.

Fonte: Veja.com

Congelamento das passagens de ônibus será de um ano, diz Doria

Publicado dia

Ele deu a declaração ao ser confrontado por apresentador com uma matéria sobre mudanças nas promessas feitas em campanha

São Paulo – O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), disse nesta terça-feira, 17, que o congelamento da tarifa básica de R$ 3,80 no transporte público vai valer por um ano, negando que teria prometido manter o preço da passagem de ônibus durante todo o primeiro mandato.“Nunca falei em quatro anos”, disse Doria durante entrevista dada ao jornalista José Luiz Datena no programa de TV Brasil Urgente, da TV Bandeirantes. “Vamos congelar neste ano. É a única capital brasileira que está mantendo a tarifa em R$ 3,80”, acrescentou o prefeito.

Doria: “Nunca falei em quatro anos”, disse Doria durante entrevista dada ao jornalista José Luiz Datena

Ele deu a declaração ao ser confrontado pelo apresentador com uma matéria da agência de notícias Lupa sobre mudanças nas promessas feitas em campanha eleitoral.

Segundo o texto, publicado no site da revista Piauí, Doria teria prometido congelar as tarifas até 2020.

Na entrevista ao Brasil Urgente, o prefeito da capital paulista afirmou também que, mais do que aumentar salários de servidores, o desafio da sua gestão será gerar empregos.

Prometeu buscar esse objetivo com a redução da burocracia municipal e, nesse ponto, garantiu que haverá maior celeridade na aprovação de projetos.

Em especial, Doria disse que a prefeitura vai estimular a construção de shopping centers na cidade. “Não pode demorar três anos para se aprovar a construção de um shopping center”, assinalou.

Diante de cenas de enchentes na cidade, Doria também adiantou que, no dia 1 de fevereiro, será inaugurado o primeiro de 19 piscinões prometidos para os quatro anos do mandato.

O prefeito informou ainda que a prefeitura vai lançar, em breve, o Programa Redenção, com o objetivo de eliminar as cracolândias, centros de consumo de drogas, de “maneira humanitária”.

Segundo ele, existem hoje oito cracolândias espalhadas pelo município. “Não é solução instantânea, mas ela será eficiente”, frisou Doria, sem antecipar detalhes do projeto.

Fonte: Exame.com

Entenda todo o vaivém no reajuste das tarifas de ônibus, metrô e trens em SP

Publicado dia

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Desde que o prefeito João Doria (PSDB) prometeu congelar as passagens de ônibus durante a campanha eleitoral, em outubro de 2016, os preços previstos para as tarifas do transporte público em São Paulo (tanto municipal quanto estadual) vivem um vaivém.

No domingo (8), governo do Estado e prefeitura reajustaram os valores de integrações e bilhetes temporais de metrô, trens e ônibus, deixando a tarifa comum congelada a R$ 3,80.

Nesta terça (10), porém, o Tribunal de Justiça de SP resolveu manter uma decisão de primeira instância que suspendia o aumento das passagens, o que fará com que elas voltem aos preços de 2016 a partir desta quarta (11).

Entenda abaixo as reviravoltas nas decisões das duas gestões sobre os preços do transporte nos últimos meses.

4.out.2016

Durante campanha eleitoral, João Doria (PSDB) diz que passagens de ônibus seriam congeladas em 2017

6.out.2016

Promessa causa constrangimento ao governador Geraldo Alckmin (PSDB), seu padrinho político; o costume é combinar com a prefeitura reajustes das tarifas

18.nov.2016

Doria sinaliza que vai reavaliar gratuidade nos ônibus a idosos de 60 a 64 anos que ainda trabalhem para amenizar impacto do congelamento

25.out.2016

Alckmin encomenda estudo para rever gratuidades no Metrô e na CPTM, reavaliando, assim como Doria, o benefício a idosos

3.nov.2016

O diretor financeiro do Metrô, José Carlos Nascimento, afirma que teme uma fuga de usuários em caso de congelamento nos ônibus

30.dez.2016

Em conjunto, Alckmin e Doria anunciam congelamento das tarifas comuns em R$ 3,80 e reajuste acima da inflação nas integrações (de R$ 5,92 para R$ 6,80) e nos bilhetes mensal (de R$ 230 para R$ 300) e diário (de R$ 16 para R$ 20), a partir de 8.jan

6.jan.2017

– Justiça suspende liminarmente os reajustes após pedido da bancada do PT na Assembleia Legislativa; a decisão afirma que as pessoas que moram em locais mais distantes seriam mais prejudicadas
– Oficial de justiça tenta entregar notificação a Alckmin às 17h20, mas não consegue, porque o governador não estava

8.jan.2017

Governo faz os reajustes previstos e, mesmo dizendo não ter sido notificado da liminar, entra com recurso no Tribunal de Justiça para derrubar a decisão de primeira instância

10.jan.2017

– Quatro dias após a decisão da Justiça, governador é notificado
– Tribunal de Justiça nega recurso de Alckmin e mantém a decisão de primeira instância, afirmando que “a redução do desconto […] não foi devidamente justificada”
– Governo estadual e prefeitura declaram que tarifas voltarão aos valores de 2016 a partir desta quarta (11)

Fonte: O Diário

Fique atento as datas de solicitação para o Bilhete Único Estudante 2017

Publicado dia

Benefício poderá ser pedido a partir de janeiro

A SPTrans informa que a partir do dia 9 de janeiro os estudantes poderão solicitar o benefício do Bilhete Único Escolar para 2017. Para isso, precisarão estar matriculados no próximo ano letivo em uma instituição de ensino cadastrada no sistema de Bilhete Único Escolar da SPTrans, e ter manifestado a intenção de obter o cartão na unidade escolar em que estudam.

A solicitação é feita pelo próprio estudante, por meio do site do Bilhete Único. Quem ainda não tem o cadastro do Bilhete terá de realizá-lo, informando seu RG e CPF, além de enviar o arquivo de uma foto digitalizada recente em padrão de documento (RG, Carteira Profissional, etc).

Para obter o benefício, é necessário residir a uma distância superior a um quilômetro da instituição de ensino, e que o percurso entre a residência e a escola tenha oferta de transporte público.
Vale lembrar que o benefício será liberado a partir de fevereiro de 2017, quando terá início o novo ano letivo.

* A publicação da matéria (conteúdo e fotos) acima é de inteira responsabilidade da Assessoria de Imprensa da SPTrans

Fonte: SPTrans

Saiba quando vai valer a pena usar o Bilhete Único Mensal após o reajuste

Publicado dia

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) e o prefeito eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), divulgaram nesta sexta-feira (30) reajustes acima da inflação na integração e nos bilhetes temporais para ônibus, metrô e trens da CPTM.

A partir do dia 8 de janeiro, o passageiro que fizer a transferência de ônibus para um dos transportes sobre trilhos vai pagar R$ 6,80, e não mais R$ 5,92. A tarifa básica de R$ 3,80 permanecerá congelada no ano que vem.

bilheteunico-aejosepatricio_p-1
O Bilhete Único Mensal também sofrerá reajustes em 2017. A modalidade exclusiva para ônibus ou trilhos terá um aumento de R$ 140 para R$ 190. Com isso, essa opção passa a ser vantajosa para quem fizer mais de 50 viagens por mês (de 30 dias). Antes, ela valia a pena para quem fazia mais de 36 viagens mensais.

Já a modalidade integrada mensal, que vale para o uso conjunto de ônibus e trilhos, sofrerá um reajuste de R$ 230 para R$ 300. Com a nova tarifa básica de integração, essa opção passa a ser vantajosa apenas para os usuários que fizerem mais de 44 viagens em um mês –o que acontecia, antes, para quem usava mais de 38 viagens mensais.

Ao todo, seis modalidades de pagamento sofreram reajuste, incluindo o bilhete 24 horas (indicado para mais de 4 viagens em 24h), que passa de R$ 10 para R$ 15; o comum; e o integrado, de R$ 16 para R$ 20. O bilhete semanal foi extinto.

Procurada pelo UOL, a assessoria de imprensa da CPTM afirmou que os usuários terão até as 23h59 do dia 7 de janeiro para carregar o Bilhete Único Mensal com os valores de R$ 140 para ônibus ou trilhos ou de R$ 230 para a integração.

*(Com Estadão Conteúdo)

Fonte: UOL

Alckmin estuda congelar tarifa de trem e metrô junto com ônibus de Doria

Publicado dia

Fiador político da eleição de João Doria (PSDB) à Prefeitura da capital, o governador Geraldo Alckmin estuda encampar promessa de campanha feita pelo prefeito eleito e também congelar as tarifas de metrô e trem a R$ 3,80 na Grande São Paulo em 2017. As análises sobre a viabilidade econômica e a forma de implementação da medida estão em fase de conclusão por técnicos da Secretaria Estadual de Transportes Metropolitanos e é possível que a manutenção conjunta do preço das passagens seja anunciada até esta sexta-feira, 29.

Entre as possibilidades estudadas em conjunto pelo governo Alckmin e pela equipe de Doria para manter o preço da tarifa comum sem provocar grandes impactos nas receitas da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô), da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e da São Paulo Transportes (SPTrans) estão reajustes nos bilhetes diário, semanal ou mensal de ônibus, vale-transporte, passe escolar e revisão das gratuidades a idosos com mais de 60 anos, pessoas com deficiência e estudantes de baixa renda.

“Os técnicos ainda estão estudando os últimos detalhes e devemos ter isso (definição) nos próximos dias”, disse o secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni. “Há diversas possibilidades que estão sendo analisadas, mas precisamos aprovar com os nossos chefes ainda, o governador e o prefeito”, completou o titular da pasta, sem dar mais detalhes sobre o estudo.

Historicamente, o reajuste das tarifas de ônibus, trem e metrô é feito de forma conjunta pela Prefeitura e pelo governo do Estado no início de cada ano. O último aumento (8,57%) ocorreu em 9 de janeiro deste ano, quando o valor das passagens subiu de R$ 3,50 para R$ 3,80.

doria_alckmin
Prefeito eleito de São Paulo, João Doria e o Governador Geraldo Alckmin.

Segundo estimativas feitas por técnicos da Comissão de Transportes da Câmara Municipal, o congelamento da tarifa de ônibus deve custar cerca de R$ 750 milhões a mais em subsídios pagos pela Prefeitura para a operação do sistema de transporte público municipal. Somente neste ano, a previsão é de que os subsídios superem os R$ 2,5 bilhões. Doria tem dito que vai usar a economia gerada nos cortes de 15% dos contratos com fornecedores da Prefeitura, de 30% dos cargos comissionados e de 35% nas verbas de custeio das secretarias (exceto Saúde, Educação e Segurança) para conseguir cumprir a promessa de campanha.

O anúncio de congelamento da tarifa feito por Doria durante a disputa eleitoral foi mal recebido pelo corpo técnico do Metrô, que tem sofrido com queda dos repasses feitos pelo governo Alckmin e redução do número de passageiros por causa da crise econômica. Somente neste ano, a companhia registrou um calote de R$ 332,7 milhões do Estado, que deixou de repassar valores referentes à compensação tarifária à estatal para quitar obrigações contratuais com a concessionária privada que opera a Linha 4-Amarela, e já fez acordo para parcelar cerca de R$ 150 milhões em dívidas com fornecedores por causa da redução de suas receitas.

Atualmente, apenas 35% dos usuários do metrô, por exemplo, pagam a tarifa cheia, de R$ 3,80, enquanto 65% pagam valores diferentes à companhia por causa de benefícios como meia-entrada a estudantes e descontos nas integrações entre as linhas, quando o passageiro usa mais de uma linha da rede mas paga apenas uma tarifa ou quando faz integração com o ônibus, quando a segunda tarifa fica R$ 1,68 mais barata.

Aumentos

Caso seja confirmado, o congelamento das tarifas de trem e metrô não deve servir de estímulo para as demais cidades da Grande São Paulo. O município de Guarulhos, o segundo maior da região metropolitana, reajustou a tarifa em 18,42% a partir de hoje. Com isso, o preço da passagem sobe de R$ 3,80 para R$ 4,50.

Em Osasco, o prefeito Jorge Lapas (PDT) publicou nesta semana decreto elevando o valor da tarifa do transporte municipal para R$ 4,20 a partir de amanhã. As prefeituras de São Bernardo e Santo André, ambas administradas pelo PT, informaram que ainda estão estudando se reajustam as passagens. É possível que a definição fique para os sucessores que tomam posse no domingo. Nos dois casos, os eleitos são do PSDB, mesmo partido de Doria e Alckmin.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: IstoÉ

Doria confirma restrição ao passe livre de idosos

Publicado dia

O prefeito eleito de São Paulo, João Doria, em entrevista a radio Bandnews, confirmou que idosos entre 60 a 64 anos de idade, que estiverem empregados, não terão mais o direito ao passe livre no transporte. Ele afirma que este grupo de idosos custa aos cofres públicos cerca de R$ 150 milhões por ano.

O empresário afirma que deve mesmo manter congelada a tarifa em R$ 3,80 ao longo de 2017. Doria diz que na cidade existem 5 milhões de pessoas entre desempregados ou com subempregos, e que não faria sentido aumentar a tarifa neste cenário.

João Doria, Prefeito eleito de São Paulo.

A promessa de manter o preço da passagem vem em um momento em que a prefeitura busca recursos para manter e ampliar o subsídio ao sistema.

Projeções de técnicos da SPTrans dão conta de que em torno de 50% dos acessos aos coletivos são viagens não pagas, seja pelas integrações proporcionadas pelo Bilhete Único, seja para as gratuidades, estas divididas entre passageiros com necessidades especiais, estudantes e idosos.

O prefeito eleito de São Paulo não estipulou data para fim do benefício a este grupo.

Fonte: Via Trolebus

Fraudes em bilhete de ônibus para idosos aumentam 531%

Publicado dia
  • Biometria em ônibus de São Paulo permitiu cancelamento de quase 18 mil cartões de gratuidade para idosos neste ano
  • Crescimento foi de 531%  se comparado à média mensal de 2015. Fraudes com bilhete estudantil gratuito cresceram 912%

ADAMO BAZANI

A ampliação das gratuidades nos ônibus em São Paulo além de diretamente pressionar o custo do sistema com a necessidade de subsídios mais altos, também tem aberto margens para fraudes e usos indevidos de cartões, o que contribui para que o rombo nas contas do sistema de transportes da capital paulista seja ainda maior.

Dados revelados pelo jornal O Estado de São Paulo mostram que uso indevido do bilhete único que garante passe livre para os estudantes cresceu 912,7% até julho deste ano em comparação com a média mensal do ano passado. Nos sete primeiros meses deste ano foram bloqueados 2.218 cartões.

Em relação aos benefícios para idosos, o total de cartões bloqueados subiu 531% neste ano levando em conta a média mensal em comparação à de 2015.

Já foram cancelados entre outubro do ano passado e outubro deste ano 17.889 cartões, a maior parte deles pertencentes a idosos que têm direito, mas que eram utilizados por outras pessoas, em especial da própria família do beneficiário.

O número de cartões especiais destinados para garantir gratuidade a pessoas com deficiência teve alta de 55,1% na média mensal, com 2,6 mil bilhetes únicos bloqueados neste ano.

O aumento de cartões bloqueados tem diversas explicações.

A primeira é a ampliação do número de pessoas beneficiadas com estas gratuidades.

Até 2014, apenas idosos com 65 anos ou mais tinham direito a gratuidade.  A partir de 17 de março daquele ano, porém, o benefício foi estendido também para pessoas com idades entre 60 e 64 anos.

Já no dia 19 de fevereiro de 2015, entrou em vigor a gratuidade total para estudantes dos ensinos fundamental e médio da rede pública, estudantes de curso de ensino superior da rede pública com renda familiar per capita de até um e meio salário mínimo, bolsistas do ProUni – Programa Universidade para Todos, estudantes financiados pelo Fies, integrantes do Programa Bolsa Universidade – Programa Escola da Família com renda de até um salário mínimo e meio, estudantes atendidos por programas governamentais de cotas sociais com renda de um salário mínimo e meio, estudantes de cursos profissionalizantes de nível técnico da rede estadual caso seja integrado com ensino médio.

Até o final deste ano, os custos com gratuidades para o 741 mil estudantes que recebem os benefícios devem subir para em torno de R$ 780 milhões e as gratuidades para idosos custarão R$ 800 milhões no acumulado deste ano. A conta não considera as fraudes.

Neste ano, os subsídios devem ultrapassar R$ 2,65 bilhões.

Como revelou em primeira mão o Diário do Transporte, o valor de R$ 1,79 bilhão de subsídios para cobrir custos como estes acabou na segunda quinzena de setembro e deveria ter durado todo o ano. Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2016/09/19/valor-de-subsidio-aos-transportes-de-sao-paulo-previsto-para-todo-ano-acaba-nesta-semana/

Outro fator que pode ajudar a explicar o aumento das fraudes detectadas no sistema de transportes foi a implantação, em 2015, do sistema de biometria facial nos ônibus urbanos da capital paulista.

Câmeras instaladas na região da catraca captam a imagem dos passageiros que têm direito à gratuidade e as cruzam com as fotos dos cadastros da SPTrans – São Paulo Transporte,  gerenciadora do sistema.

A prefeitura de São Paulo estuda usar as câmeras também para monitorar outros benefícios.

Uma das propostas do prefeito eleito João Doria para diminuir o peso destas concessões já para o primeiro ano de mandato, é rever as gratuidades no sistema. Entre as ideias, está novamente conceder gratuidade para idosos somente a partir de 65 anos, como determina lei federal pelo Estatuto do Idoso. Outra medida é cancelar os benefícios dos idosos que trabalham e que recebem o vale-transporte para que não haja uma duplicidade no uso dos cartões.

De toda forma, qualquer ganho econômico ao sistema por algumas destas iniciativas pode ter seu efeito anulado caso Doria mantenha congelado o valor das passagens em R$ 3,80, como prometeu.

Caso o congelamento ocorra, seria necessário mais R$ 1,3 bilhão aos subsídios previstos para o ano que vem que são de R$ 1,7 bilhão.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Fonte: Diário do Transporte